Autor: – Tradução: Lilian Ribeiro

revisando

Quando enviamos um artigo para uma revista para tentar publicá-lo, o primeiro filtro a passar, antes de ser colocado ou não na revisão por pares, é a “revisão de edição” realizada pelos editores da revista. Uma alta porcentagem de manuscritos enviados para revistas científicas de impacto não passa nesta primeira revisão e é recusado por vários motivos, a maioria deles evitável, incluindo:

1 “Normas, normas, normas”. Apesar de que as normas para autores de periódicos de qualidade específicos, de maneira pormenorizada, as  normas que os autores devem seguir se pretendem publicar neles, descobrimos que uma alta porcentagem os ignora ao respeitar a estrutura indicada  pela revista, anonimize o manuscrito, siga a extensão marcada, o número de palavras-chave e referências, a maneira de citar e etc. Como queremos publicar nessa revista e nosso manuscrito será revisado, em muitos casos gratuitamente, por vários especialistas no assunto, devemos seguir, cem por cento, as regras para os autores, se quisermos que os editores enviem nosso manuscrito para Revisores.

2 “Plágio”. Os editores verificam os artigos que chegam a eles com um programa profissional anti-plágio e muitos são recusados pela porcentagem de plágio que possuem. Não assuma que todos os periódicos farão uma leitura quantitativa e qualitativa da porcentagem de plágio e / ou autoplágio que seu artigo obterá (muitos não o fazem) e, para evitar surpresas, é aconselhável aprovar um programa de detecção de plágio antes de enviar o artigo para a revista.

3 “Má seleção da revista”. Nosso artigo pode ser muito bom, mas precisa se encaixar na revista em que pretendemos publicá-lo; portanto, ao selecioná-lo, devemos levar em consideração, entre outros aspectos, sua linha temática, a existência de monografias ou não, seu foco, periodicidade e número de artigos por número, porcentagem de aceitação / recusa, etc. Se não levarmos em conta esses aspectos, nosso trabalho será descartado.

4 “Não realizar a Discussão”. Constatamos que um bom número de artigos que desejam ser avaliados não realiza esta seção básica da escrita científica (já falamos em outra entrada desta Escola de autores de sua importância) e, em muitas ocasiões, a confunde com a Conclusão.

5 “Duplicar, triplicar as informações”. A escrita científica é caracterizada por sua precisão, clareza e brevidade. É uma maneira de escrever onde as idéias são apresentadas de maneira ordenada, concisa e fluente, e ainda assim, encontramos em inúmeras ocasiões que uma idéia descrita em texto simples é imediatamente apresentada novamente em uma tabela e, além disso, uma terceira vez em uma figura.

6 “Pesquisa bibliográfica incorreta, mau estabelecimento do estado da arte-”

Desnecessário dizer que é importante que os editores se vinculem a esta seção: se você deseja publicar em periódicos científicos de excelência e grande impacto, delimite o estado da arte do seu assunto por meio de uma pesquisa exaustiva nos principais bancos de dados onde estão indexados. (SCOPUS e WOS)

7 “Método mal selecionado / executado”. A seção Método do nosso manuscrito é minuciosamente revisada por periódicos de qualidade (muitos deles têm revisores metodológicos apenas para esta seção); portanto, além de selecionar periódicos que publicam artigos de acordo com nossa linha metodológica, preste atenção especial à elaboração do Método.

8 “Número de autores em excesso”. Os regulamentos dos autores geralmente especificam o número máximo de pesquisadores que podem assinar um artigo, se o seu exceder e você não quiser que ele seja rejeitado, não se esqueça de justificar, na carta de apresentação, o motivo desse número.

9 “Uso do inglês – não profissional -. Tradutores profissionais trabalham em periódicos científicos de impacto que detectam a qualidade de nossas traduções (metadados ou todo o artigo, se necessário); portanto, se o seu inglês não for excelente e você não quiser que seu trabalho seja dispensado, contrate um tradutor profissional.

10 “Falta de documentos anexados”. As revistas especificam uma série de documentos a serem carregados, além do manuscrito anônimo. O número e o tipo desses documentos variam de acordo com a revista (página de rosto, carta de apresentação, Highlight, declaração de interesse etc.) e as plataformas de gerenciamento de artigos não nos permitem concluir o processo se eles não estiverem incluídos, mas no caso talvez e se você não quiser ter seu artigo recusado, forneça todos os documentos solicitados.

Levar em consideração essas dez possíveis causas de recusa do artigo não garantirá que seu artigo após a revisão seja publicado / recusado, mas certamente ajudará seu artigo a não ser rejeitado, passar no filtro de “revisão de edição” e ser encaminhado para a revisão por pares.

Entradas recientes