Palabras clave

Experiência, conhecimento, emancipation.

Resumen

Com base em indícios resgatados em documentos e observações, o objetivo deste trabalho é revelar sentidos emancipatórios existentes, mas invisíveis ou ignorados, em meio aos processos regulatórios, bem como compreender os saberes, as idéias que impregnam as práticas cotidianas desenvolvidas pelos sujeitos sociais. No sentido de valorizar os conhecimentos e as práticas sociais marginais, fundamentamo-nos em Boaventura de Sousa Santos, que propõe a sociologia das ausências e a sociologia das emergências. Na primeira, o movimento é o de expandir o domínio das experiências sociais já disponíveis, contudo negligenciadas, enquanto na segunda é o de expandir o domínio das experiências sociais possíveis. Propõe uma arqueologia das experiências já existentes, mas invisíveis, no intuito de revelar as experiências do mundo, tanto as disponíveis como as possíveis. Trata-se de revelar e difundir experiências vividas por pessoas comuns, de conhecer e propalar experiências construídas em trabalhos científicos marginalizados e de encontrar e anunciar conhecimentos/experiências nos mais diversos campos sociais, no movimento de constituição de alternativas à lógica hegemônica e, ao mesmo tempo, de manutenção de tradições marginalizadas e desperdiçadas pela ciência moderna. Por meio da sociologia das ausências, estas experiências são resgatadas e divulgadas para se tornarem possíveis encaminhamentos das questões enfrentadas, para se constituírem em outros sentidos para a transformação social ou, ainda, para propor novas formas de pensar. Apresentamos uma reflexão sobre experiência no campo social de conhecimentos que, segundo Santos, trata de conflitos e diálogos possíveis entre diferentes formas de conhecimento. No caso deste trabalho, a tentativa é a de resgatar a experiência pedagógica no uso de vídeos de alguns dos professores da Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro, ignorada pelos próprios professores e por especialistas nas áreas de educação e comunicação, sendo os últimos produtores de vídeos educativos para auxiliar a prática pedagógica dos primeiros. O exercício de ler indícios e pistas, muitas vezes insignificantes, mas reveladores, presentes nas falas e ações dos professores, indicou que, longe de ausência de saber, os modos peculiares de utilização de TV e vídeo revelam outros saberes e outra(s) lógica(s). O que pode sugerir ação isolada e desprovida de conhecimento, também pode ser compreendido como pista para uma prática e um saber criativo e emancipatório.

Referencias

ALVES, N. (1992): Formação de professores: pensar e fazer. São Paulo, Cortez.

Link Google Scholar

GUIMARÃES, G. (2003): Mídia e formação cultural: a televisão e suas práticas de linguagem. Brasília, Revista de Educaçã–AEC.ç

Link Google Scholar

MACHADO, A. (1999): «Uma nova maneira de ver televisão», in FIGUEREDO, V.: Mídia e Educação. Rio de Janeiro, Gryphus.

Link Google Scholar

MARTIN-BARBERO, J. (1997): Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro, Editora UFRJ.

Link Google Scholar

MORIN, E. (2001): Ciência com consciência. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil.

Link Google Scholar

MULTIRIO (1996): Relatório de gestão 1993-1996. Rio de Janeiro, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro-Secretaria Municipal de Educação.

Link Google Scholar

OLIVEIRA, I. (2003): Currículos praticados: entre a regulação e a emancipação. Rio de Janeiro, DP&A.

Link Google Scholar

ORLANDI, E. (1987): A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. Campinas, Pontes.

Link Google Scholar

SANTOS, B. (2004): Conhecimento prudente para uma vida decente: um discurso sobre as ciências revisitado. São Paulo, Cortez.

Link Google Scholar

Fundref

Este trabajo no tiene ningún soporte financiero

Crossmark

Ficha técnica

Métricas

Métricas de este artículo

Vistas: 0

Lectura del abstract:

Descargas del PDF:

Métricas completas de Comunicar 25

Vistas: 0

Lectura del abstract:

Descargas del PDF:

Citado por

Citas en Web of Science

Actualmente no existen citas hacia este documento

Citas en Scopus

Actualmente no existen citas hacia este documento

Citas en Google Scholar

Actualmente no existen citas hacia este documento

Descarga

Métricas alternativas

Cómo citar

Guimarães, G., Alves, N., & Goulart-Barreto, R. (2005). Which tv do teachers want? From unrecognized experiences to emerging knowledge of the selection of video and TV programs. [¿Cuál es la televisión que los docentes quieren? De las experiencias ausentes a las emergencias de conocimientos con vídeos y programas de televisión]. Comunicar, 25. https://doi.org/10.3916/C25-2005-181

Compartir

           

Apartado de Correos 527

21080 Huelva (España)

Administración

Redacción

Creative Commons

Esta web utiliza cookies para obtener datos estadísticos de la navegación de sus usuarios. Si continúas navegando consideramos que aceptas su uso. +info X